quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Pneumonia em idosos, um problema cada vez maior.

     Nessa época do ano, é muito importante conversarmos sobre um problema cada vez mais frequente não só entre idosos, mas também em pessoas de qualquer faixa etária, a pneumonia. O que você sabe sobre essa doença? Tudo bem, normalmente não costuma-se buscar informações a respeito desse tipo de complicação, até que se esteja frente a uma.

        A pneumonia pode ser caracterizada como a inflamação dos pulmões e é causada principalmente por bactérias, fungos ou vírus, na linguagem técnica, chamados de agentes infecciosos. No grupo de doenças que lideram o ranking das internações hospitalares, a pneumonia encontra-se no topo. Entre os idosos é a quarta causa principal de hospitalização. Em 2010 o Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde divulgou que em decorrência da enfermidade 43 mil  idosos foram a óbito no Brasil. Devido a esse dado alarmante, o ministério da saúde reforçou a campanha nacional de vacinação contra a gripe em nosso país.

       É  a doença mais prevalente entre idosos, não porque o indivíduo tende a ficar doente nessa fase da vida, mas sim por sua condição de vulnerabilidade e fragilidade que os tornam mais suscetíveis a doença. Nosso organismo tende a sofrer alterações em seu funcionamento com o passar dos anos e o sistema imunológico acompanha essas mudanças. Por isso é extremamente importante que você fique atento a como evitar esse tipo de doença e quais providências deve tomar caso note algum sinal ou sintoma. 


  
Os sintomas mais comuns são:
  • Tosse com secreção (podendo não haver sangue);
  • Febre alta;
  • Calafrios;
  • Falta de ar;
  • Dor torácica durante a respiração;

       O diagnóstico é basicamente realizado de forma simples, o médico deverá considerar a história clínica do paciente. Essas informações são coletadas através de diálogo com o próprio paciente e com familiares, exame clínico e raio-x. O tratamento é baseado no uso de antibióticos, mas vale a pena lembrar que nessa situação o plano terapêutico é realizado de acordo com o agente causador, ou seja, não é indicado o uso desses medicamentos sem recomendação médica. 
  
         As dicas de prevenção não são complicadas, vejam só: 
  • Lavar as mãos;
  • Evitar ambientes frios e úmidos sem proteção adequada;
  • Higiene oral;
  • Controle de outras doenças pré-existentes;
  • Em pacientes acamados ou com repouso prolongado, posicionar o indivíduo e o leito de forma correta, evitar uso de colchões de água, mantê-lo bem agasalhado e realizar a mudança de decúbito;
        Para os idosos, a vacina contra a gripe pode ajudar a reduzir o risco de pneumonia em cerca de 60%, e o risco de hospitalização e morte em 50% a 68%. Por isso não deixe de tomar a vacina no posto de saúde mais próximo a sua residência e ir até um proto socorro ou comunicar seu médico caso sinta a presença sintomática da doença, evitando assim o seu agravo. Lembre-se também de não tomar medicamento por conta própria, as práticas caseiras de tratamento podem ser uma saída, mas antes discuta com seu médico essa possibilidade.

2 comentários:

  1. Boa noite.

    Um oportuno e informativo espaço, parabéns.
    Teremos a continuidade desse trabalho em 2015?
    Em breve anunciarei um blogue sobre a velhice, mas com outro enfoque.Vou registrá-lo na lista dos blogs favoritos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Juraci, estamos voltando com muito gás depois de um tempo longe. Será uma honra pra toda equipe ter você como parte das pessoas que apoiam nosso trabalho. é com muito carinho que já postamos a primeira matéria de Março, tá valendo muito a leitura!!

      Abraços e compartilhe seu Blog conosco ...

      Excluir