quinta-feira, 27 de junho de 2013

Exercitar a Memória é Preciso


Muitas pessoas pensam que o processo de esquecimento é resultante da carência de algum componente químico ou hormônio que influencie no funcionamento do cerébro, entretanto na maioria das vezes esse fato acontece simplesmente pela falta de estimulação das sinapses ou desuso das mesmas, como alguns especialistas gostam de definir.
Para que nossa matéria não fique sem sentido para os mais leigos, vamos explicar um pouco sobre o que é uma sinapse. Temos no cérebro humano bilhões de neurônios, destes o do córtex cerebral recebem entre 1.000 e 10.000 conexões. Essas conexões e interconexões estabelecidas entre as células nervosas e que tem como principal função firmar ligações entre elas e transmitir informação entre uma e outra são definidas como sinapses.
Há cerca de um século cientistas já tinham conseguido demonstrar que a falta de estímulos das sinapses já teria como resultado a atrofia e posteriormente perda funcional, assim como o uso elevado das sinapses proporciona seu crescimento e melhora funcional. Um estudo realizado sobre as sinapses responsáveis pelos movimentos musculares identificou que conforme a conexão entre as células fossem estimuladas, mais e melhor eram contraídos os músculos, pois a liberação de neurotransmissores específicos ativam proteínas localizadas nas células seguintes.
Outros estudos conseguiram comprovar que quando a estimulação das sinapses é interrompida por um tempo prolongado, tanto a terminação nervosa que libera neurotransmissores, como as membranas que recebem a substância, se atrofiam. Quando a interrupção da estimulação é consideravelmente prolongada, a conexão pode até desaparecer.
Pavlov já dizia no século passado que a repetição de uma determinada combinação de estímulos que produz uma memória leva a uma melhora da mesma. Tudo aquilo que é aprendido por um indivíduo será melhor recordado se houver exercício daquela informação ou atividade, se não for exercitado acaba-se esquecendo. Memórias que não são esquecidas mesmo com a falta de estimulação, provavelmente são frutos de um forte comprometimento emocional da pessoa com o fato.

Um exemplo pode ser essa própria matéria, que não há comprometimento emocional por você que está lendo agora, todavia se esse mesmo texto for relido várias outras vezes, as informações presentes nele serão facilmente relembradas e resgatadas quando necessários. A mesma coisa acontece com um filme que você viu há um mês atrás e precisa rever de novo para que seja recordado com eficiência. Muitas dessas conexões poderão ser substituídas por outras mais importantes, baseado nessa informação eu espero que as sinapses que venham a substituir sejam mais valiosas.